Lançamento do livro “BIBLIOTECAS, LIVRO E LEITURA NO MARANHÃO: Políticas públicas para pensar uma sociedade leitora e cidadã

Foto: Divulgação

Organizado pela Professora, Bibliotecária e ex-presidente do CRB13, Maria Mary Ferreira, editado pela EDUFMA com o apoio da FAPEMA, através do Edital SERGIO FERRETTI LIVROS.

A publicação apresenta as análises de uma ampla pesquisa realizada em 13 (treze) municípios maranhenses, abordando a problemática das bibliotecas, livro, leitura e livrarias no Maranhão.

A pesquisa que atingiu alguns municípios do @governoma

Os resultados da pesquisa revelaram a ausência de políticas públicas efetivas e contínuas por parte do Estado.

Prestigie o lançamento, hoje (11/11/2021) às 18h no palácio Cristo Rei.

Síntese do Livro BIBLIOTECAS, LIVRO E LEITURA NO MARANHÃO: Políticas públicas para pensar uma sociedade leitora e cidadã, organizado pela Professora e Bibliotecária Mary Ferreira, editado pela EDUFMA com o apoio da FAPEMA através do Edital SERGIO FERRETTI LIVROS. Esta publicação reflete as análises de uma ampla pesquisa realizada em 13 municípios maranhenses abordando a problemática das bibliotecas, livro, leitura e livrarias no Maranhão.
As bibliotecas são considerados historicamente espaços de memória, leitura e informação, que ao longo da história social cumprem um importante papel em preservar e socializar o saber construído pela humanidade. São também responsáveis pela estímulo a pesquisa escolar a construção do pensamento crítico. Através da leitura dirigida e sistematizada pelos bibliotecários que cumprem o importante papel de mediador da informação e do conhecimento, principalmente nos espaços escolares e universitários, conseguimos fazer o conhecimento circular e cumprir sua função social. A ausência deste profissional na maioria das bibliotecas do País e em especial do Maranhão se reveste da maior gravidade, em virtude de deixar um vácuo no processo de formação da juventude, em especial dos estudantes que se ressentem de orientação de leituras, de debates sobre livros e informações que possam contribuir para o fortalecimento dos conteúdos pedagógicos ministrados nas escolas e universidades e na formação do pensamento crítico.
A pesquisa que atingiu os municípios de São Luís, Pinheiro, Arari, Chapadinha, Araioses, Caxias, Codó, Coroatá, Timbiras, São José de Ribamar, Santa Inês, Imperatriz e Balsas apresenta um quadro bastante preocupante em relação a situação das bibliotecas municipais e ausência de bibliotecas na maior parte das escolas, com um mínimo de organização que permita ultrapassar os limites de amontoados de livros dispersos em espaços insalubres.
A pesquisa revelou a ausência do Estado, embora se saiba que o Estado tem feito outros empreendimentos importantes para sanar a falta de espaços de leitura e informação no Maranhão, a exemplo das Escolas Dignas. Mas, é visível a ausência do profissional da informação, cujo trabalho de sistematizar e socializar o saber tem funcionado como um farol nos espaços em que atua iluminando mentes que buscam no conhecimento um caminho para a transformação da realidade.
O livro reflete ainda a ausência de livrarias na maioria dos municípios maranhenses, fato que dificulta mais ainda o acesso a informação e ao conhecimento e contribui para agudizar os tempos obscurantistas que se vive no Brasil no atual contexto.
A nossa expectativa é que o livro instigue autoridades e sociedade civil, alerte professores e as famílias, os jovens e os idosos, para o repensar sobre as instituições de leitura e informação no Maranhão, consideradas estratégicas nestes tempos obscuros em que se vive, de negação da história e do apagamento de memórias. O livro permite que se reviva fatos que não podem ser esquecidos pelas gerações jovens e pelos que ainda virão para continuar esta história que será sempre uma história dos oprimidos contra as elites que sobrevivem da exploração e do esquecimento de grande parte da sociedade brasileira e maranhense. Cabe as bibliotecas e aos bibliotecários, historiados, filósofos, professores continuarem a lutar para que os livros e as bibliotecas continuem fazendo parte da nossa memória e seja o farol que deve iluminar nossas decisões.